Escravos de Jó jogavam caxangá…

Escravos de Jó jogavam caxangá…

Escravos de Jó jogavam caxangá…
Escravos de Jó jogavam caxangá…
Tira. Põe. Deixa ficar…
Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá.
Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá.

Dia desses um amigo marcou meu nome em uma publicação no facebook onde citava a brincadeira “Escravos de Jó”… fazia tempo que eu não me lembrava dessa tão antiga e costumeira musiquinha que sempre brincava, principalmente com minha avó Elizabete, meu avô Joaquim e minha irmã Karol… brincávamos fazendo a ciranda de copos de plástico e era bom demais! Certamente minha Alice vai aprender a brincar também.

A brincadeira estimula a atenção, concentração, cooperação, coordenação motora, linguagem, memória, ritmo… ufa! Vários benefícios!

Não encontrei ainda a origem da brincadeira, todas as fontes que encontrei são muito controversas. Mas segue um texto bem interessante que li sobre a brincadeira:

“Jó foi um personagem do Antigo Testamento. Segundo o livro, Deus apostou com o Diabo que, mesmo perdendo os filhos e a riqueza, Jó não perderia a fé. E ganhou. Daí a expressão “paciência de Jó”.

Daí para a frente é só mistério. Nada indica que Jó tivesse escravos. O mais provável é que a cultura negra tenha se apropriado de sua figura para simbolizar o homem rico da cantiga de roda. Os escravos que faziam o zigue zigue zá seriam os fujões, que corriam em ziguezague para despistar os capitães-do-mato.
O significado de caxangá é ainda mais obscuro. Segundo o Dicionário Tupi-Guarani-Português, de Francisco da Silveira Bueno, caxangá vem de caá-çangá, que significa “mata extensa”. Já para o Dicionário do Folclore Brasileiro é um adereço usado pelas mulheres alagoanas. A palavra também já foi associado aos saquinhos utilizados no contrabando de sementes para as senzalas.
Tudo indica que, de boca em boca, o significado da palavra, ou até mesmo a composição dos versos, tenha sido muito modificado. Isso também explicaria as variações regionais da cantiga. Afinal, deixamos o Zambelê ou o Zé Pereira ficar?”
(Fonte: AQUI)
(Imagem: Google)

Participe!